Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Dia Mundial da Poesia - Aurelino Costa

IMG_1232.JPG

"La poesía es um arma cargada de futuro", disse o poeta espanhol Gabriel Celaya!

Para assinalar o Dia Mundial da Poesia, a Beaf convidou  AURELINO COSTA; poeta e diseur, advogado de profissão, licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Unidade de Coimbra. Tem uma obra extensa e diversificada que vai da produção poética, à narração, discografia, participação em filmes e documentários fílmicos. Nasceu em  Argivai, Póvoa de Varzim, em dezembro de 1956. O seu mais recente livro, “Gadanha” lançado em maio de 2018, está nomeado para o Prémio Autores 2019 da SPA.

Diz-se poeta da Terra embora o Mar espreite ao longe. Fala do tempo e da morte; da sonolência e da preguiça do domingo; da infância e da Natureza; do gado, da lavoura e dos instrumentos agrícolas. 

Para o poeta Aurelino Costa: "A escrita é fascinação mas começa por ser uma atração". 

"A Poesia tem o gozo da Palavra. Tem a metáfora e a alegoria". "A Poesia é um encontro, uma permanência – uma existência …." E, ele gosta de existir nesse tempo. 

Foi no polivalente da Escola Secundária de Barcelinhos que cerca de 160 alunos ouviram este homem, apaixonado pela poesia e pela vida, dizer poemas seus e de outros poetas nacionais, num encontro informal, simpático e por vezes arrebatador. Alunos e professores  testemunharam o entusiasmo que coloca nas palavras e a alegria que transmite ao falar da vida e da poesia. Houve, ainda, tempo  para desafiar os alunos a dizer poesia. E foram vários os momentos em que os alunos recitaram poemas seus e de outros poetas, colhidos da Árvore da Poesia, num ambiente muito aconchegante e descontraído.

Aurelino fala com o coração, com os olhos e com as mãos. E nós embasbacamos com a alegria e serenidade que transmite, porque sabemos que  “Escreverá e declamará até morrer”.

Obrigada Aurelino.

 

 

 

 

 

 

Dia Mundial da Poesia

IMG_0843.JPG

 A Poesia não se explica, sente-se. A poesia é arte. A poesia sou eu, és tu. A poesia é o que sentimos, o que acontece. A poesia é a sensibilidade, a forma como vemos as coisas,  como as sentimos,  como as revelamos... A poesia acontece, vive-se, de forma espontânea...

São algumas das respostas dadas,  pelos nossos alunos, ao desafio lançado sobre "O que é a Poesia?" 

Viveu-se  poesia  na Escola Secundária de Barcelinhos. 

Alunos e professores, disseram poesia "à natureza" e sobre a natureza.

A magnólia,  o carvalho, o azevinho, o álamo, a glicinia,o rododendro,  a camélia, o freixo, o negrilho, o prunos, o medronho, o sobreiro,  entre outras árvores que embelezam os nosssos jardins foram homenageadas com poesia. Antecipadamente, estas árvores foram identificadas e nelas afixados  poemas. 

A comunidade escolar "poetizou-se" e cerca de 300 alunos  criaram frases, pensamentos sobre poesia que embelezaram as nossas azálias.