Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Diários de Escrita

Escolhas para a vida

 ESCOLHASS.jpg

                A vida é um curto espaço de tempo em que nós, humanos, estamos num planeta, na Terra. Neste período, vamos sendo obrigados a efetuar inúmeras escolhas, umas mais fáceis, outras mais difíceis, mas todas elas têm consequências na nossa vida.

                Cada atitude nossa acaba por ser uma escolha e, são estas decisões que vão moldando a nossa personalidade e aquilo que vamos ser, num futuro próximo. Lembro-me de há tempos atrás ouvir a frase “até mesmo quando não escolhemos nada, estamos a efetuar uma escolha”. Fiquei a pensar, por momentos e, foi então, que percebi que a nossa vida é feita de escolhas em todos os momentos, horas e minutos. De um modo geral, a vida acaba por ser a soma de todas as opções que efetuamos.

                Desde muito cedo, vemo-nos obrigados a realizar pequenas escolhas que pouco impacto terão, como, por exemplo, se preferimos comer uma maçã ou um pão. No entanto, com o passar do tempo, teremos de fazer opções mais complexas e com um maior impacto a longo prazo. A este caso podemos associar um daqueles que é o maior dilema dos alunos finalistas do secundário: que caminho seguir? A meu ver, esta é, talvez, a escolha mais complicada que irei ter de tomar, visto que é ela que irá quase que definir o meu futuro. No entanto, há que colocar aquele pequeno medo que nos acompanha, desde sempre, de lado e apostar naquilo que mais gostamos e nos faz feliz.

                São várias as decisões complicadas que iremos ter de efetivar, ao longo desta caminhada, mas também serão muitas as surpresas e recompensas que nos aguardam no futuro. Posto isto, não devemos ter medo de arriscar, uma vez que, mesmo que tenhamos feito a escolha errada, há sempre uma forma de dar a volta. Afinal, o que seria a vida sem erros?

                Concluindo, penso que  devemos sempre encarar todas as opções que vamos ter de equacionar  como um desafio e fazê-las da forma mais responsável possível. O prémio será uma vida bem estruturada e feliz, porque este percurso é o reflexo das nossas escolhas.     

Susana Patrícia Ferreira Barbosa, 12ºD

Diários de Escrita

Cartaz.png

 Desde pequenos, quando ainda nem ler sabemos, até ao fim da vida, a Literatura faz parte do nosso quotidiano, mas quando nos colocam a pergunta: “Qual a importância da Literatura para a Humanidade?” não sabemos dar uma definição concreta.

Em primeiro lugar, quando se procura no dicionário o significado de Literatura aparece “arte de escrever”. Mas será que esta é a única definição de Literatura? Como Sigmund Freud referiu “Os poetas e os romancistas são aliados preciosos, e o seu testemunho merece a mais alta consideração, porque eles conhecem, entre o céu e a terra, muitas coisas que a nossa sabedoria escolar nem sequer sonha ainda. São, no conhecimento da alma, nossos mestres, que somos homens vulgares, pois bebem de fontes que não se tornaram ainda acessíveis à ciência.”, perante isto, conclui-se que a Literatura é muito mais que a arte de escrever, influenciando de uma forma grandiosa o nosso conhecimento. Porém, numa sociedade onde há poucos leitores e uma grande carência educacional, não se pode esperar que se tenha uma compreensão mais abrangente sobre o tema.

Em segundo lugar, a Literatura permite ao indivíduo estimular os seus conhecimentos, refletindo sobre assuntos que nunca refletiu, ou seja, “a nossa sabedoria escolar nem sequer sonha ainda” como Sigmund Freud opinou. Desta forma, a Literatura tem grande importância para a sociedade pois contribui para a valorização cultural e social do indivíduo, desenvolvendo o seu senso crítico, tendo a capacidade de chegar à alma, fazendo reflexões sobre o mundo e realidade e, até, sobre nós mesmos sendo exemplo disso, o meu livro preferido “Milk and Honey” de Rupi Kaur que despertou o meu sentido crítico sobre vários assuntos, refletindo imenso sobre mim mesma e sobre a sociedade que me rodeia, despoletando em mim a vontade de querer mudar o mundo. Deste modo, visto que a Literatura enriquece tanto o ser humano, é normal ser importante no âmbito escolar, sendo uma forte influência em cada um de nós. No entanto, há uma grande quantidade de estudantes que menosprezam a Literatura, porém, aqueles que a valorizam, usufruem, sem dúvida, dos benefícios que a Literatura oferece, nomeadamente, cultura, lazer, enriquecimento vocabular e perspetivas diferentes da vida e do mundo. Um grande exemplo disto é a influência que Fernando Pessoa teve em mim, especificamente na minha maneira de pensar, pois ao longo do estudo da sua poesia e obra fui-me identificando com alguns dos seus pensamentos, refletindo assim sobre a minha realidade e mudando maneiras de pensar não caindo na tentativa de cometer os mesmos erros que os antigos. Mas não se fica por aqui, um grande tema ao longo do meu estudo de Literatura é a temática da mulher, observando a grande evolução que esta tem, sendo musa inspiradora de vários autores como, por exemplo, na poesia trovadoresca, Cesário Verde e Eça de Queirós. Outro tema muito abordado é o patriotismo e a força de vontade do povo português, relembrando o quanto o nosso povo conquistou e o quanto é grandioso, havendo duas grandes obras focadas neste assunto: Os Lusíadas, de Luís de Camões e Mensagem, de Fernando Pessoa.

Em suma, a Literatura é uma necessidade no nosso quotidiano, pois é um meio de expressar ideias e sonhos, inspirando os que nos rodeiam, revolucionando, assim, o mundo.

Diana Morim, 12ºC

Diários de Escrita

Por Susana Barbosa, 12º D

Em todas as escolas secundárias Publicação1.pngexiste uma associação liderada por alunos, a associação de estudantes. A minha não é diferente e, como tal, todos os anos, grupos de alunos juntam-se e criam listas como se fossem uma espécie de partido que concorre, por exemplo, à liderança de um país. No entanto, aqui é diferente, pois o objetivo é criar uma equipa para promover uma melhor integração dos estudantes, no núcleo educativo da escola, nomeadamente através da realização de atividades extracurriculares diversificadas e enriquecedoras

Assim sendo, há dias atrás, na minha escola, decorreram, como habitualmente, os dois dias de campanha das listas que estavam a candidatar-se a este cargo. Apesar de a campanha se realizar apenas no início de novembro, as duas listas candidatas começaram desde muito cedo a organizar tudo ao pormenor, para que tudo fosse perfeito.

À medida que os dias da campanha se aproximavam, a ansiedade ia crescendo em cada um de nós, pois sabíamos que seriam, provavelmente, dois dos melhores dias do nosso ano letivo, a nível de atuações musicais. Quando, finalmente, chegou o primeiro dia de campanha, lá estávamos nós, eufóricos e” trajados a rigor” com a camisola alusiva à lista que apoiávamos. Todos os gritos, todos os saltos e todos os cânticos que dedicávamos ao grupo que apoiávamos, davam ainda mais alegria e emoção a estes dias e, acima de tudo, eram demonstrações de apoio e de carinho a todos os membros destas duas listas. No entanto, o que é “ bom”  passa num ápice e a verdade é que estes dias passaram a correr.

 A meu ver, este género de campanha é essencial para uma escola, pois permite que haja um maior contacto entre todos nós e, consequentemente, uma melhor relação, não esquecendo a diversão que nos traz.  

Considero, também, que não devemos encarar a associação de estudantes como um grupo de alunos em busca de liderança, mas como um grupo de alunos que procura promover uma série de experiências magníficas a todos nós, ao longo de um ano letivo.

Assim sendo, resta-me desejar um ano repleto de sucesso à lista vencedora, pois, independentemente de termos ou não votado nela, é esta lista que nos vai representar e apoiar e, como cidadãos responsáveis que somos, certamente todos iremos contribuir para que esta nova associação nos propicie cultura e lazer.

 

 

Diários de Escrita, por anónimo

Carta à Amizade

boy-447701_960_720.jpg

Querida amizade,

Espero que te encontres bem de saúde. Eu, embora sem ti, cá vou andando.

Queria dizer-te, do fundo do coração, que gosto muito de ti. Eu sei que te posso ter desiludido algumas vezes. Sei que outras vezes me posso ter distraído, deixando de pensar em ti. E se isso por ventura aconteceu, queria pedir-te desculpa, dizer-te que vou estar mais atento aos teus anseios, às tuas necessidades, ao teu sofrimento. Peço-te que não te deixes confundir pela confusão, frustrar pela frustração, desiludir pela desilusão. Não esvazies o teu coração, só porque ouviste dizer mal de mim. 
Se tiveres queixa de mim, diz-me só a mim o que te vai na alma. Só eu sei o que fiz ou não fiz, o que disse ou não disse. Só eu saberei esclarecer a essência das minhas palavras e mais ninguém.
E se por ventura houver alguma razão para não estares contente comigo, não queiras, que a vírgula que nos separa, se transforme em ponto final.

Fernandinho

Diários de Escrita, por Maria Francisca Cardoso, 12º A

fantasy-2861107_960_720.jpg

O papel do sonho na vida do ser humano

            Num dos seus poemas mais conhecidos, António Gedeão afirma que o “sonho comanda a vida” e, de facto, o sonho é o motor da vida humana, pois é ele que nos guia e ajuda a alcançar os nossos objetivos e desejos, variando, contudo, de pessoa para pessoa, mas, no geral, traduzindo nas nossas ambições e aspirações.

            Com efeito, o sonho é intrínseco aos seres humanos, pois faz parte da nossa essência sonhar. De facto, o sonho, associado à ambição, não só levou aos Descobrimentos mas também a muitas descobertas e invenções científicas. O sonho é, portanto, o grande impulsionador da vida humana, pois permite-nos alcançar grandes feitos.

            Mas o que é sonhar? Sonhar é muito mais do que desejar e ambicionar. Sonhar é imaginar, é criar, é ser inconsciente momentaneamente e, portanto, é ser feliz. Na verdade, sempre que sonhamos esquecemo-nos das nossas preocupações e, portanto, sonhar não só nos alegra como nos encoraja e nos dá força para continuar. De facto, se não fosse o sonho e o seu poder Martin Luther King, Mahatma Gandhi, e até os portugueses nos Descobrimentos, teriam desistido e nunca teriam alcançado o impossível.

Nesta perspetiva, o sonho constitui uma forma de superação dos limites do Homem, visto ser necessário lutar para o realizar. Assim sendo, os sonhos alimentam o nosso espírito e encorajam-nos a melhorar a realidade em que vivemos, permitindo, por exemplo que o Homem conquistasse os mares, voasse e até chegasse à Lua.

Em suma, o que seria do Homem sem o sonho? Talvez como disse Fernando Pessoa, o Homem não passaria de uma “besta sadia”, de um “cadáver adiado que procria”, talvez o mundo não fosse como o conhecemos, mas de certeza que seria um mundo muito mais triste e cinzento pois “matar o sonho é matarmo-nos”.

 

Diários de Escrita, por Ana Cardoso, 12º A

A Importância do Desporto

 cliff-2699812_960_720.jpg    

           Num mundo em que a obesidade tende a aumentar, a prática desportiva é indispensável, não só para os jovens como também para todas as outras faixas etárias.

            Com efeito, a percentagem de pessoas obesas tem apresentado valores alarmantes em todo o globo, incluindo em Portugal, e é necessário relembrar a importância do desporto para a saúde, não apenas a nível físico como também mental.

            De facto, a prática desportiva deve ser parte integrante do nosso quotidiano, ajudando a prevenir várias doenças, mas deve ser adaptada às características e limitações de cada um, pois todos somos diferentes e, ao esforçarmo-nos demasiado, podemos sofrer lesões graves ou despoletarmos outros problemas de saúde. Assim, o desporto, para ser eficaz, não precisa de ser esgotante ou doloroso, mas regular, adaptado à idade de cada um e às suas condições físicas. Deste modo, uma simples caminhada, ao fim do dia, pode ser o início de uma boa prática para prevenir várias doenças.

            Há, ainda, a salientar, um outro aspeto muito importante relativamente à prática desportiva: esta é, também, essencial para uma boa saúde mental, pois a maior parte das pessoas que faz exercício físico não costuma fazê-lo sozinha, havendo um convívio entre os vários participantes, como por exemplo, nos desportos de equipa como o futebol e o basquetebol, onde é possível criar fortes relações entre os intervenientes. Além disso, o desporto também nos ajuda a relaxar e a esquecer os nossos problemas, permitindo-nos descurar as exigências do dia-a-dia e, consequentemente, sentir-nos-emos mais felizes, pois, segundo um estudo científico, a prática desportiva liberta a endorfina que regula a emoção e a perceção da dor, reduzindo, ainda, o stress e a ansiedade.

            Concluindo, num país onde a venda de antidepressivos é elevada e tendo em conta o aumento da taxa de obesidade, é fundamental promover a prática do desporto como uma forma de viver uma vida mais saudável e mais feliz.

 

...

Diários de Escrita, por Telmo Luís Pinheiro Campos, 10º D



Nós, como pessoas, podemos ter todos os sonhos que quisermos, porque os sonhos são uma reflexão do nosso dia a dia ou dos nossos objetivos futuros/desejos.
E, se um dia sonharmos em ser  famosos, como os  que vemos na televisão e quisermos estar naquele patamar, a nossa mente poderá levar-nos e, se nos esforçamos, isso poderá acontecer, só dependerá de nós.
Todos se calhar queríamos ter os nossos cinco minutos de fama nos nossos sonhos, pelo menos já imaginamos isso, mas nunca pensamos numa consequência real: podem invadir-nos a privacidade, sermos roubados por inveja do que temos.
Mas os nossos sonhos não são essencialmente sobre isso, pode ser também de querermos que algum familiar nosso melhore o seu estado de saúde, ou que encontremos a pessoa que amamos.
A expressão «tenho em mim todos os sonhos do mundo» é uma frase que nos faz pensar e sonhar e refletir nos nossos sonhos e, como temos várias capacidades em determinada área de que gostamos, é sempre possível alcançar esse sonho. Como nada é impossível, posso dizer que «tenho em mim todos os sonhos do mundo».





Diários de Escrita

Diários de Escrita, por Telmo Luís Pinheiro Campos, 10º D



Nós, como pessoas, podemos ter todos os sonhos que quisermos, porque os sonhos são uma reflexão do nosso dia a dia ou dos nossos objetivos futuros/desejos.
E, se um dia sonharmos em ser  famosos, como os  que vemos na televisão e quisermos estar naquele patamar, a nossa mente poderá levar-nos e, se nos esforçamos, isso poderá acontecer, só dependerá de nós.
Todos se calhar queríamos ter os nossos cinco minutos de fama nos nossos sonhos, pelo menos já imaginamos isso, mas nunca pensamos numa consequência real: podem invadir-nos a privacidade, sermos roubados por inveja do que temos.
Mas os nossos sonhos não são essencialmente sobre isso, pode ser também de querermos que algum familiar nosso melhore o seu estado de saúde, ou que encontremos a pessoa que amamos.
A expressão «tenho em mim todos os sonhos do mundo» é uma frase que nos faz pensar e sonhar e refletir nos nossos sonhos e, como temos várias capacidades em determinada área de que gostamos, é sempre possível alcançar esse sonho. Como nada é impossível, posso dizer que «tenho em mim todos os sonhos do mundo».
 
 




...

Diários de escrita, por Ana Margarida Alves, 10º D


Os nossos sonhos…!
Se pensarmos nesta pequena palavra, mas com um significado enorme que é o sonho, podemos adivinhar dois significados. O sonho que costumamos ter durante a noite, em que a nossa mente se encarrega de projetar desejos, pensamentos e medos que nós temos, não será o sonho de que vou falar hoje.
O que pretendo engrandecer e definir é o “sonho que comanda a vida”. O sonho que nos faz acreditar que somos capazes de alcançar grandes objetivos, o sonho que nos faz crescer a nível pessoal e profissionalmente, que cresce com o passar do tempo e nos faz evoluir consequentemente.
Sem sonhos, a vida poderá ser mais sombria. Sem sonhos as pessoas não querem mais, não ambicionam mais.
O que seria de nós se não tivéssemos a capacidade de sonhar?
O que seria da nossa infância sem as famosas frases como "Quando for grande, vou ser fotógrafa!" ou "Quando for grande, serei como o meu irmão!". O que seria das pessoas se não imaginassem um futuro, se não tivessem a oportunidade de desenhar um caminho conforme os seus maiores desejos?
Esta definição foi o que deu ao ser humano a oportunidade de conquistar inúmeras coisas que, sem a capacidade de as ambicionar, não seríamos capazes.
Diz-se que a maior aprendizagem que se ganha ao sonhar é quando aprendemos a acreditar nos nossos sonhos e, assim, nós vamos onde nós quisermos!

Diários de escrita

Diários de escrita, por Ana Margarida Alves, 10º D

Os nossos sonhos…!
Se pensarmos nesta pequena palavra, mas com um significado enorme que é o sonho, podemos adivinhar dois significados. O sonho que costumamos ter durante a noite, em que a nossa mente se encarrega de projetar desejos, pensamentos e medos que nós temos, não será o sonho de que vou falar hoje.
O que pretendo engrandecer e definir é o “sonho que comanda a vida”. O sonho que nos faz acreditar que somos capazes de alcançar grandes objetivos, o sonho que nos faz crescer a nível pessoal e profissionalmente, que cresce com o passar do tempo e nos faz evoluir consequentemente.
Sem sonhos, a vida poderá ser mais sombria. Sem sonhos as pessoas não querem mais, não ambicionam mais.
O que seria de nós se não tivéssemos a capacidade de sonhar?
O que seria da nossa infância sem as famosas frases como "Quando for grande, vou ser fotógrafa!" ou "Quando for grande, serei como o meu irmão!". O que seria das pessoas se não imaginassem um futuro, se não tivessem a oportunidade de desenhar um caminho conforme os seus maiores desejos?
Esta definição foi o que deu ao ser humano a oportunidade de conquistar inúmeras coisas que, sem a capacidade de as ambicionar, não seríamos capazes.
Diz-se que a maior aprendizagem que se ganha ao sonhar é quando aprendemos a acreditar nos nossos sonhos e, assim, nós vamos onde nós quisermos!