Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Ana Salomé esteve na nossa Biblioteca

A Poesia esteve na nossa escola: Ana Salomé visitou-nos.
E, não bastasse o que nos ofereceu, ainda escreveu isto no seu blogue http://www.cicio.blogspot.com/
«Quarta-feira, 17 de Dezembro de 2008 Poesia & Paris Hoje tive um dia muito bonito, mas muito intenso, na Escola de Barcelinhos, a convite de Aida Lemos, que foi também minha professora na Universidade, e que me fez sentir, como sempre, em casa, para falar de poesia com os alunos, apresentar-lhes as Odes, e moderar um pequeno concurso de versos em linha (ideia que retirei da iniciativa que decorre na Centésima Página). Ganhou a Cláudia que tinha uma irmã gémea. Receberam-me, mais uma vez, com o coração aberto. É a segunda vez que vou à escola. Fiquei muito comovida com os olhares atentos e doces, com o espanto, com a cara de alegria dos miúdos todos cheio de estilo por descobrirem que conseguiam escrever um verso sobre a palavra favorita deles, com a predisposição para conversarem sobre poesia (citei Pavese, Mário Dionísio, Eduardo Lourenço, Al Berto, Hugo von Hofmannsthal, Henrique Fialho, etc.) e ouvirem-na, com as leituras que prepararam dando-lhes uma respiração nova para mim, com os comentários que teceram, com a generosidade dos sorrisos e da flor artesanal que me ofereceram com as minhas iniciais bordadas, com a presença repetida das meninas lindas do 12ºF na parte da tarde, com a ajuda do Bruno, a simpatia da bibliotecária, a amabilidade dos professores e dos estagiários, com o ramo radioso de girassóis, com o coração parado a ouvirem o Mário Viegas a encantar um poema, com os olhe aqui um poema que fiz sobre si agora mesmo, com os livros apertados nas mãos, com os cadernos à espera do nome e do xi-coração, com a vontade de chegarem a casa e terem sentido que hoje valeu a pena para um amanhã. Fico com uma enorme esperança no mundo ao ver como é possível fazer acontecer poesia nas escolas como se estivéssemos todos sentados numa praia a contemplar um mar de azeite ou uma laranja a levitar na mão de um homem com cabeça de vidro. Hoje à noite, depois do jantar, vou finalmente a Paris comer pipocas. Tenho de me despachar a comer a sopa.»
Retirado do blogue do CLP http://www.clp-esb.blogspot.com/