Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

...

                                                   Diários de Escrita, por Vitor Campos, 12º C.





A viagem a Mafra é indubitavelmente educativa e enriquecedora. Logo que se vislumbra o Convento, os olhos de imediato se prendem a todo o encanto quer pela grandiosidade quer pelo seu lugar de destaque. Entende-se que, para erguer um edifício de tal envergadura, foi necessário muito suor e lágrimas, tornando louvável o trabalho árduo de todos os intervenientes do projeto.
         Com a leitura da obra Memorial do Convento, compreendemos detalhadamente todo o sacrifício necessário até à sagração do convento. Não obstante, cingindo-nos à imagem literária, não visualizamos a grandeza da obra. Pelo livro, entendemos que se trata de um edifício grande, pela passagem em Mafra, entendemos que o edifício tem proporções hiperbólicas.
           Outro aspeto fulcral da visita ao convento de Mafra foi a representação dramática da obra de Saramago. Num espaço pequeno e com um reduzido número de atores, foram materializados Baltasar Sete-Sóis, Blimunda Sete-Luas, o padre Bartolomeu Lourenço e os restantes personagens de relevo na história. Os louvores ditos sobre a peça são variados, desde o talento dos atores até à sua capacidade de ridicularizar proveitosamente alguns momentos do romance. Há, no entanto, alguns aspetos menos positivos quando se procura relacionar a obra e a peça, mesmo sendo uma representação bastante fiel do livro, fracassa ao excluir algumas passagens de relevo no livro, por exemplo, o transporte da grandiosa pedra. Não obstante, é preciso realçar que o espaço físico disponível para a encenação e os recursos humanos não eram suficientes para uma representação mais fidedigna do livro.
       Sobre o convento e palácio de Mafra pode ainda dizer-se que é um local repleto de aposentos agradavelmente decorados e que refletem a estética e o movimento artístico referente ao período de construção e utilização do monumento. Há, claramente, divisões que merecem maior ênfase por diversas razões. A biblioteca pelo seu património cultural e importância histórica, a sala de convívio e de jogos que manifestam uma decoração alegre e apropriado à finalidade a que estas divisões se reservam, e ficam aqui por ser louvados outros espaços de beleza extrema como a basílica e a sala de caça.
       Espero que a oportunidade que eu tive de visitar e desfrutar do convento de Mafra seja possível aos próximos alunos que irão frequentar o décimo segundo ano, pois é certamente produtivo e enriquecedor no domínio da disciplina de Português e trata-se de uma experiência que todos os leitores do romance deviam viver.
       É um complemento fantástico da leitura.





Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.