Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Em dezembro, a BE sugere

Sinopse
Desde o interior da ditadura mais repressiva domundo, desde um país coberto por absoluto isolamento, Dentro do Segredo. Emabril de 2012, José Luís Peixoto foi um espectador privilegiado nas exuberantescomemorações do centenário do nascimento de Kim Il-sung, em Pyongyang, naCoreia do Norte. 
Também nessa ocasião, participou na viagem maisextensa e longa que o governo norte-coreano autorizou nos últimos anos, tendopassado por todos os pontos simbólicos do país e do regime, mas também poralgumas cidades e lugares que não recebiam visitantes estrangeiros há mais desessenta anos. 
A surpreendente estreia de José Luís Peixoto naliteratura de viagens leva-nos através de um olhar inédito e fascinante aoquotidiano da sociedade mais fechada do mundo. Repleto de episódios memoráveis,num tom pessoal que chega a transcender o próprio género, Dentro do Segredo éum relato sobre o outro que, ao mesmo tempo, inevitavelmente, revela muitosobre nós próprios.

Em dezembro, a BE sugere

Sinopse
Desde o interior da ditadura mais repressiva domundo, desde um país coberto por absoluto isolamento, Dentro do Segredo. Emabril de 2012, José Luís Peixoto foi um espectador privilegiado nas exuberantescomemorações do centenário do nascimento de Kim Il-sung, em Pyongyang, naCoreia do Norte. 
Também nessa ocasião, participou na viagem maisextensa e longa que o governo norte-coreano autorizou nos últimos anos, tendopassado por todos os pontos simbólicos do país e do regime, mas também poralgumas cidades e lugares que não recebiam visitantes estrangeiros há mais desessenta anos. 
A surpreendente estreia de José Luís Peixoto naliteratura de viagens leva-nos através de um olhar inédito e fascinante aoquotidiano da sociedade mais fechada do mundo. Repleto de episódios memoráveis,num tom pessoal que chega a transcender o próprio género, Dentro do Segredo éum relato sobre o outro que, ao mesmo tempo, inevitavelmente, revela muitosobre nós próprios.

A Escola e a Amnistia Internacional


As escolas de Barcelinhos e Barcelos uniram-se, no dia 30 de novembro, no auditório da Câmara Municipal de Barcelos para, em conjunto, dar continuidade ao trabalho iniciado pela D.ra Vitória de Triães, uma ativista dos Direitos Humanos. A nossa escola não ficou indiferente a tão nobre causa. Os alunos do 11º C declamaram os poemas: "Rosa de Hiroxima" e "Cantata da Paz". As alunas, Maria Barros e Marília Ferreira do 9º B, leram "Direito à vida", poema criado pelas próprias a propósito desta iniciativa. A encerrar, toda a plateia cantou "You are the World" acompanhados à viola  pelos alunos do 11º C.
Poema
Direito à vida
 Direito a nascer,
Direito a crescer,
Direito a existir,
Direito a ser livre.
Direitos que nos são dados,
Que não devem ser retirados,
O ser humano tem direito a voar,
Conquistar e errar.

Temos direito de ser Iguais,
E aprender mais e mais.
Temos direito de gritar, de chorar e amar.
Temos direito a escolher sem nunca temer...

Por mais erros que cometamos,
E falhas que tenhamos,
Há sempre solução,
Há sempre uma razão,
Para voltar a ser livre e renascer.

Não é preciso desistir,
É preciso enfrentar.
É preciso não ter medo,
Um dia iremos melhorar…


O gelo pode derreter,
Os rios podem secar,
As árvores podem-se despir,
E o ser humano pode errar…

É preciso perdoar,
Ensinar a amar,
Ensinar a ser livre,
Sem o outro perturbar.

Maria Barros e Marília Ferreira,  9º B
Escola Secundária de Barcelinhos

A Escola e a Amnistia Internacional


As escolas de Barcelinhos e Barcelos uniram-se, no dia 30 de novembro, no auditório da Câmara Municipal de Barcelos para, em conjunto, dar continuidade ao trabalho iniciado pela D.ra Vitória de Triães, uma ativista dos Direitos Humanos. A nossa escola não ficou indiferente a tão nobre causa. Os alunos do 11º C declamaram os poemas: "Rosa de Hiroxima" e "Cantata da Paz". As alunas, Maria Barros e Marília Ferreira do 9º B, leram "Direito à vida", poema criado pelas próprias a propósito desta iniciativa. A encerrar, toda a plateia cantou "You are the World" acompanhados à viola  pelos alunos do 11º C.
Poema
Direito à vida
 Direito a nascer,
Direito a crescer,
Direito a existir,
Direito a ser livre.
Direitos que nos são dados,
Que não devem ser retirados,
O ser humano tem direito a voar,
Conquistar e errar.

Temos direito de ser Iguais,
E aprender mais e mais.
Temos direito de gritar, de chorar e amar.
Temos direito a escolher sem nunca temer...

Por mais erros que cometamos,
E falhas que tenhamos,
Há sempre solução,
Há sempre uma razão,
Para voltar a ser livre e renascer.

Não é preciso desistir,
É preciso enfrentar.
É preciso não ter medo,
Um dia iremos melhorar…


O gelo pode derreter,
Os rios podem secar,
As árvores podem-se despir,
E o ser humano pode errar…

É preciso perdoar,
Ensinar a amar,
Ensinar a ser livre,
Sem o outro perturbar.

Maria Barros e Marília Ferreira,  9º B
Escola Secundária de Barcelinhos

Pág. 4/4