Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Diários de escrita, por Sérgio Carvalho

Cumpri a minha promessa de estar longe de ti. 
Não foi necessário ouvir o não... bastou-me não ouvir uma única palavra vinda de ti! 
Perdi a inspiração para escrever, perdi a inspiração para amar o que verdadeiramente eu amei: tu! 
Já não sinto o meu coração a palpitar: sinto-o a sofrer. Sinto-me triste, vazio. Custa-me a respirar. 
Custa-me olhar-te pois se o fizer, vou saber que o meu mundo ruiu de um momento para o outro e eu não fiz nada para que isso acontecesse. 
 Podias ter dito que não! Podias ter dito algo em vez de me ignorar, me deixar na dúvida durante tempo infinito. 
A felicidade desistiu de mim. Acho que é isso: a felicidade desistiu de mim. Ou então pareço um fantoche nas mãos dela. 
Ou então, a felicidade foi inventada por um pseudo poeta qualquer. 
Olho para os outros e sinto-me só. Vazio sem alguém! Apenas preciso do abraço no momento certo, de um simples abraço. 
Um abraço que não chega... afinal, tu não chegas e estás tão perto! 
Preciso de recuperar o fôlego: acreditei durante tempo demais que esta corrida ia acabar. Acabou comigo... deixei-me vencer pelo cansaço do simples existir.

Diários de escrita, por Sérgio Carvalho

Cumpri a minha promessa de estar longe de ti. 
Não foi necessário ouvir o não... bastou-me não ouvir uma única palavra vinda de ti! 
Perdi a inspiração para escrever, perdi a inspiração para amar o que verdadeiramente eu amei: tu! 
Já não sinto o meu coração a palpitar: sinto-o a sofrer. Sinto-me triste, vazio. Custa-me a respirar. 
Custa-me olhar-te pois se o fizer, vou saber que o meu mundo ruiu de um momento para o outro e eu não fiz nada para que isso acontecesse. 
 Podias ter dito que não! Podias ter dito algo em vez de me ignorar, me deixar na dúvida durante tempo infinito. 
A felicidade desistiu de mim. Acho que é isso: a felicidade desistiu de mim. Ou então pareço um fantoche nas mãos dela. 
Ou então, a felicidade foi inventada por um pseudo poeta qualquer. 
Olho para os outros e sinto-me só. Vazio sem alguém! Apenas preciso do abraço no momento certo, de um simples abraço. 
Um abraço que não chega... afinal, tu não chegas e estás tão perto! 
Preciso de recuperar o fôlego: acreditei durante tempo demais que esta corrida ia acabar. Acabou comigo... deixei-me vencer pelo cansaço do simples existir.

Pág. 3/3