Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Conto-te na BE - IPSS, Barcelinhos

No dia 12 de Janeiro, a BE, teve a visita de 40 meninos e meninas do JI de Barcelinhos que, acompanhadas pelas educadoras e auxiliares, assistiram a mais uma atividade a cargo da turma  H do 12º ano do curso de Animador Sociocultural, sob a orientação da professora Claudina.

Conto-te na BE - IPSS, Barcelinhos

No dia 12 de Janeiro, a BE, teve a visita de 40 meninos e meninas do JI de Barcelinhos que, acompanhadas pelas educadoras e auxiliares, assistiram a mais uma atividade a cargo da turma  H do 12º ano do curso de Animador Sociocultural, sob a orientação da professora Claudina.

Diários de escrita, por Ana Lúcia Faria Senra, 12º F

Progresso e  preservação da natureza noromance “A Cidade e as Serras”.
           A problemática entreprogresso e preservação da Natureza é referida na obra de Eça de Queirós, umavez que ambas têm os seus benefícios e más consequências no Homem. O progresso, apesar de melhorar a vida do Homem emtodas as suas tarefas quotidianas, é falível. Tal como acontece com as“invenções” de Jacinto, que a certa altura se estragaram. Uma evoluçãoconstante e vários anos repletos de novidade podem provocar no Homem o cansaçode tanto progresso (a “fartura” como classificou Grilo, uma personagem daobra).
        Na Natureza, o Homemencontra-se no seu estado puro, no ambiente que lhe é natural. Todas as pessoasnecessitam de paz e tranquilidade, o que só a Natureza lhes pode proporcionar.Contudo, para os azares da vida, precisamos das invenções, que são produto dacivilização.
         Em suma, esta será umaproblemática que poderá perdurar, pois é difícil encontrar a melhor soluçãopara benefício da Humanidade.

Diários de escrita, por Ana Lúcia Faria Senra, 12º F

Progresso e  preservação da natureza noromance “A Cidade e as Serras”.
           A problemática entreprogresso e preservação da Natureza é referida na obra de Eça de Queirós, umavez que ambas têm os seus benefícios e más consequências no Homem. O progresso, apesar de melhorar a vida do Homem emtodas as suas tarefas quotidianas, é falível. Tal como acontece com as“invenções” de Jacinto, que a certa altura se estragaram. Uma evoluçãoconstante e vários anos repletos de novidade podem provocar no Homem o cansaçode tanto progresso (a “fartura” como classificou Grilo, uma personagem daobra).
        Na Natureza, o Homemencontra-se no seu estado puro, no ambiente que lhe é natural. Todas as pessoasnecessitam de paz e tranquilidade, o que só a Natureza lhes pode proporcionar.Contudo, para os azares da vida, precisamos das invenções, que são produto dacivilização.
         Em suma, esta será umaproblemática que poderá perdurar, pois é difícil encontrar a melhor soluçãopara benefício da Humanidade.

Diários de escrita, por Ana Clara F. Fernandes, 12ºB

Literatura
                A literatura desempenha um papel fundamental paratodo o ser pensante. Ela ajuda-nos a crescer não só a nível intelectual mastambém a nível afectivo.
                De uma formasubtil, a literatura dá-nos asas para sairmos da rotina e permite-nos entrarnum mundo que não é nosso, mas, por outro lado, ela também nos desperta paracasos da nossa “dura” realidade, como é o caso da obra Rose Madder pertencente ao autor Stephen King.
Nessa obra, podemos refletir sobre a violênciadoméstica, nomeadamente sobre a violência a que é sujeita a vítima que é casadacom um polícia. Como sabemos, a violência doméstica acontece na actualidade ena sociedade em que estamos inseridos e, na leitura dessa obra, pude deparar-mecom esse caso, em que a vítima dormia, supostamente, com a “justiça”.
                Acerca daliteratura e de tudo o que ela engloba, podemos verificar que esta não se“degrada”, pelo contrário, mantêm-se na linha do tempo e adapta-se aos temposmodernos. Um exemplo disso é a famosa obra-prima de Eça de Queirós, Os Maias, em que o autor caracterizaferozmente a sociedade lisboeta do século XIX e, após a sua leitura e reflexão,deparámo-nos, no século XXI, com a mesma atitude, pois pouco ou nada mudou.
                Assim, aliteratura é uma arte a partir da qual podemos sentir reflectida a beleza daspalavras, que nos levam a sentir emoções e que, por sua vez, nos conduzem areflexões. Não existe faixa etária, pois um bom livro, uma boa obra, podem serencontrados, quer para os miúdos, quer para os graúdos.

Diários de escrita, por Ana Clara F. Fernandes, 12ºB

Literatura
                A literatura desempenha um papel fundamental paratodo o ser pensante. Ela ajuda-nos a crescer não só a nível intelectual mastambém a nível afectivo.
                De uma formasubtil, a literatura dá-nos asas para sairmos da rotina e permite-nos entrarnum mundo que não é nosso, mas, por outro lado, ela também nos desperta paracasos da nossa “dura” realidade, como é o caso da obra Rose Madder pertencente ao autor Stephen King.
Nessa obra, podemos refletir sobre a violênciadoméstica, nomeadamente sobre a violência a que é sujeita a vítima que é casadacom um polícia. Como sabemos, a violência doméstica acontece na actualidade ena sociedade em que estamos inseridos e, na leitura dessa obra, pude deparar-mecom esse caso, em que a vítima dormia, supostamente, com a “justiça”.
                Acerca daliteratura e de tudo o que ela engloba, podemos verificar que esta não se“degrada”, pelo contrário, mantêm-se na linha do tempo e adapta-se aos temposmodernos. Um exemplo disso é a famosa obra-prima de Eça de Queirós, Os Maias, em que o autor caracterizaferozmente a sociedade lisboeta do século XIX e, após a sua leitura e reflexão,deparámo-nos, no século XXI, com a mesma atitude, pois pouco ou nada mudou.
                Assim, aliteratura é uma arte a partir da qual podemos sentir reflectida a beleza daspalavras, que nos levam a sentir emoções e que, por sua vez, nos conduzem areflexões. Não existe faixa etária, pois um bom livro, uma boa obra, podem serencontrados, quer para os miúdos, quer para os graúdos.

Vencedores do Concurso Nacional de Leitura - 1ª fase

A 1ª fase do Concurso Nacional de Leitura, decorreu hoje na nossa escola. Foram apurados, para a 2ª fase do concurso, a realizar a nível distrital em data a definir, os alunos:
 3ºciclo:
 Lara Isabel Faria Pereira, 8º B
 Marília da Conceição Lima Ferreira, 8º B
Lídia Catarina da Silva Azevedo, 9º C (Suplente)
   Secundário:
 Ana Lúcia Faria Senra, 12º F
 Alice Catarina Martins Loureiro, 12º A
João Pedro Oliveira Soares, 12º C (Suplente)
 PARABÉNSAOS VENCEDORES E A TODOS OS QUE PARTICIPARAM NESTA INICIATIVA!  

Vencedores do Concurso Nacional de Leitura - 1ª fase

A 1ª fase do Concurso Nacional de Leitura, decorreu hoje na nossa escola. Foram apurados, para a 2ª fase do concurso, a realizar a nível distrital em data a definir, os alunos:
 3ºciclo:
 Lara Isabel Faria Pereira, 8º B
 Marília da Conceição Lima Ferreira, 8º B
Lídia Catarina da Silva Azevedo, 9º C (Suplente)
   Secundário:
 Ana Lúcia Faria Senra, 12º F
 Alice Catarina Martins Loureiro, 12º A
João Pedro Oliveira Soares, 12º C (Suplente)
 PARABÉNSAOS VENCEDORES E A TODOS OS QUE PARTICIPARAM NESTA INICIATIVA!