Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar Dr. António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Biblioteca Escolar Dr. António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

17.Jan.12

Diários de escrita, por Juliana Silva, 12º A

Apreciação crítica
Mais um livro, maisuma viagem sem sair do sofá! Deduzo, então, que ler é essencial porque usamos anossa mente e fortificamos a nossa inteligência. Através da leitura, testamosos nossos próprios valores e experiências. Opinandosobre José Saramago, ouso referir que foi talvez um dos melhores escritoresuniversais. Tenho a constatar quea sua forma de escrita é diferente - utiliza frases e períodos compridos,usando a pontuação de uma maneira “não convencional”. Porém, considero que, senos habituarmos ao estilo deste admirável escritor, a sua escrita é muitoagradável. Ler livros de José Saramago é gratificante!
Todos os Nomesfoi uma das suas obras que me fez refletir sobre a nossa diminuta existência,tal como Saramago diz “Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro parauns e será o último para outros e que, para a maioria, é só um dia mais.” Aolongo desta obra, estádefinida a importância da vida, pois, quando cerrarmos os olhos para aexistência, vamos passar a ser memórias e jamais passaremos disso – é impostoum grande peso sobre os valores de verdade vida/morte. Esta obra demonstrou-metambém que,por mais que alguém procure o outro, jamais sairá de si próprio. Vivam!

17.Jan.12

Diários de escrita, por Alice Loureiro, 12º A

                A literatura é uma arte. É aarte de expressar por palavras tudo aquilo que sentimos, que vemos e vivemos. Nãosurge nas nossas vidas apenas inserida num livro. Aparece num simples texto,numa simples frase ou até numa simples palavra, que pode estar carregada de tamanhosignificado e emoção, chegando a ser capaz de nos mudar, fazer decidir ourefletir.
                A literatura no geral pode dizermais do que se espera, ela consegue ser conforto para quem se sente triste ouencorajamento para quem se sente incapaz. Quantas e quantas vezes nos rimos aler um livro, choramos a ler um livro, nos revoltamos a ler um livro? Se aliteratura é capaz de provocar emoções reais nas pessoas, também consegue serdecisiva nas nossas vidas ao provocar essas emoções. Pode ser uma conselheiraou uma amiga, que nos mostra o correto e o errado, que nos ajuda a entender quepor vezes os nossos pontos de vista têm de ser mudados porque não são os maiscorretos, ou até reforçar que aquilo que nós somos e pensamos está certo e quenão devemos mudar, pelo contrário, devemos lutar e mostrar verdadeiramente quemsomos.
                Uma criança, graças à literatura,é capaz de sonhar. Porquê? Porque a literatura sabe ser um mundo próprio para cadacriança. Sabe ser um mundo de fantasia em que existe a bruxa, a princesa, o príncipe,a magia e o amor, que, mesmo depois de uma leitura, ou depois de ouvirmos umconto, continuemos a sonhar.
Mas,para além da fantasia, também sabe dar esperança e força para continuarmos aacreditar nos nossos projetos e nos nossos desejos. A literatura comunicaatravés da palavra, e, apesar do que pensamos, a palavra está sempre do nossolado. Quer seja num livro que lemos, numa crónica que sai no jornal, numareportagem cuja história nos marcou, ou numa música cuja  letra é absolutamentedivinal e nos consegue pôr a chorar.
                Por isso, a literatura éefetivamente um “organizador fundamental” que nos ajuda a pensar sobre asnossas ideias, os nossos valores, ou até mesmo a reavaliar aquilo que somos. Ajuda-nosa fugir da realidade, fantasiando, sonhando, voando, mas sempre com os pés bemassentes na terra.

17.Jan.12

Diários de escrita, por Sara Barbosa e Sofia Vale

Líder
Quem será a pessoa com quem os adolescentes passarãomais tempo? Quem os ensina? Quem lhes serve de molde para a sua educação? Quemos torna mais capacitados para crescer na vida, para enfrentar obstáculos epara se interrelacionar e interagir com os outros?
Idealizamos um perfil de líder com base nestasquestões, pois achamos que estas se adequam à pessoa de que vamos falar. Anossa personagem eleita é educadora, por vezes, demasiado rigorosa e severa,mas, para o nosso bem, compreensiva, conselheira e tem claramente perfil delíder, porque está focada no bem comum, é íntegra e também realista.
O professor…!
Escolhemo-lo porque, para além dos pais e dos amigos,é com quem passamos grande parte do tempo e está tão presente no nosso dia adia que não lhe sabemos dar o devido valor quando, por exemplo, nos limitamos acriticá-lo e a rebaixá-lo.
Em momentos complicados pode ser o nosso pilar eauxiliar-nos quando mais precisamos. Dá-nos uma perspectiva sobre o nosso futuro,reforçando a ideia de que tudo está nas nossas mãos e que só depende de nós eensina-nos também a conhecer a realidade ou o presente tal e qual como ele é.
Assim, defendemos que realmente o professor tem perfilde líder e que tem positivamente um grande peso nas nossas vidas.


17.Jan.12

Diários de escrita, por Jéssica Soraia, ex-aluna da ESB

Nós, nos livros
  Sonhar é um dom, um privilégio que nem todos têm.
Ler um livro proporciona-nos milhares de sonhos.Sonhar não é apenas fechar os olhos e imaginar o dia de amanhã como melhor nosconvém, mas sim, ter a capacidade e liberdade de entrar num livro, vivê-lo esonhá-lo.
Tudo é muito monótono quando nos baseamos em viver osdias como simples robôs, alguém que tudo faz por obrigação, ou fazem aquilo quetodos os outros fazem. Não! Essa ideia é errada. O desejo de querer sempre maisé ótimo, é insaciável e pode ser concretizado com a leitura de um livro.
A simples palavra livro traz consigo milhares depalavras. A ideia de conhecer países lindos e maravilhosos, de ficar a perceberhistórias e romances marcantes na literatura, de voar até à lua, de conhecerMarte, pode ser algo não concretizável na realidade, mas alcançado nopensamento. É esse um dos grandes privilégios que se pode ter a ler um livro.
Quando começo a ler um livro, parece-me sempredesinteressante, até ao momento em que me desperta e me apercebo daquilo queele realmente me proporciona. A minha imaginação voa cada vez mais alto, osmeus sonhos e desejos flutuam com mais velocidade sobre a superfície da água,sinto que com eles aprendo a saber lidar de maneiras diferentes com as situaçõese, por vezes, comigo mesma.

13.Jan.12

Conto-te na BE - IPSS, Barcelinhos

No dia 12 de Janeiro, a BE, teve a visita de 40 meninos e meninas do JI de Barcelinhos que, acompanhadas pelas educadoras e auxiliares, assistiram a mais uma atividade a cargo da turma  H do 12º ano do curso de Animador Sociocultural, sob a orientação da professora Claudina.
11.Jan.12

Diários de escrita, por Ana Lúcia Faria Senra, 12º F

Progresso e  preservação da natureza noromance “A Cidade e as Serras”.
           A problemática entreprogresso e preservação da Natureza é referida na obra de Eça de Queirós, umavez que ambas têm os seus benefícios e más consequências no Homem. O progresso, apesar de melhorar a vida do Homem emtodas as suas tarefas quotidianas, é falível. Tal como acontece com as“invenções” de Jacinto, que a certa altura se estragaram. Uma evoluçãoconstante e vários anos repletos de novidade podem provocar no Homem o cansaçode tanto progresso (a “fartura” como classificou Grilo, uma personagem daobra).
        Na Natureza, o Homemencontra-se no seu estado puro, no ambiente que lhe é natural. Todas as pessoasnecessitam de paz e tranquilidade, o que só a Natureza lhes pode proporcionar.Contudo, para os azares da vida, precisamos das invenções, que são produto dacivilização.
         Em suma, esta será umaproblemática que poderá perdurar, pois é difícil encontrar a melhor soluçãopara benefício da Humanidade.

10.Jan.12

Diários de escrita, por Ana Clara F. Fernandes, 12ºB

Literatura
                A literatura desempenha um papel fundamental paratodo o ser pensante. Ela ajuda-nos a crescer não só a nível intelectual mastambém a nível afectivo.
                De uma formasubtil, a literatura dá-nos asas para sairmos da rotina e permite-nos entrarnum mundo que não é nosso, mas, por outro lado, ela também nos desperta paracasos da nossa “dura” realidade, como é o caso da obra Rose Madder pertencente ao autor Stephen King.
Nessa obra, podemos refletir sobre a violênciadoméstica, nomeadamente sobre a violência a que é sujeita a vítima que é casadacom um polícia. Como sabemos, a violência doméstica acontece na actualidade ena sociedade em que estamos inseridos e, na leitura dessa obra, pude deparar-mecom esse caso, em que a vítima dormia, supostamente, com a “justiça”.
                Acerca daliteratura e de tudo o que ela engloba, podemos verificar que esta não se“degrada”, pelo contrário, mantêm-se na linha do tempo e adapta-se aos temposmodernos. Um exemplo disso é a famosa obra-prima de Eça de Queirós, Os Maias, em que o autor caracterizaferozmente a sociedade lisboeta do século XIX e, após a sua leitura e reflexão,deparámo-nos, no século XXI, com a mesma atitude, pois pouco ou nada mudou.
                Assim, aliteratura é uma arte a partir da qual podemos sentir reflectida a beleza daspalavras, que nos levam a sentir emoções e que, por sua vez, nos conduzem areflexões. Não existe faixa etária, pois um bom livro, uma boa obra, podem serencontrados, quer para os miúdos, quer para os graúdos.

06.Jan.12

Vencedores do Concurso Nacional de Leitura - 1ª fase

A 1ª fase do Concurso Nacional de Leitura, decorreu hoje na nossa escola. Foram apurados, para a 2ª fase do concurso, a realizar a nível distrital em data a definir, os alunos:
 3ºciclo:
 Lara Isabel Faria Pereira, 8º B
 Marília da Conceição Lima Ferreira, 8º B
Lídia Catarina da Silva Azevedo, 9º C (Suplente)
   Secundário:
 Ana Lúcia Faria Senra, 12º F
 Alice Catarina Martins Loureiro, 12º A
João Pedro Oliveira Soares, 12º C (Suplente)
 PARABÉNSAOS VENCEDORES E A TODOS OS QUE PARTICIPARAM NESTA INICIATIVA!  

Pág. 1/2