Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar Dr. António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Biblioteca Escolar Dr. António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

27.Mai.11

Conto das Quintas

Não, não é uma aula a sério. São os alunos do 10º I do curso de Animador Sociocultural que, sob a coordenação das Professoras Paula Queiroga e Francisca Carvalho, dinamizaram o último "Conto das Quintas" deste ano lectivo. Esta actividade teve também a colaboração das Professoras, Júlia Carvalho, de Físico-Química, Emília Poças e Joana Salazar, de Biologia, que proporcionaram aos pequeninos do Jardim de Infância da IPSS de Barcelinhos, momentos de pura magia com a realização de experiências no âmbito das respectivas áreas.


18.Mai.11

Chá de Livros



Hoje encerramos o ciclo de uma actividade, entre as demais, que muito prazer nos deu, não só à equipa da BE ,mas também a todos quantos nela participaram, directa ou indirectamente: O chá de livros.
Entre professores e alunos, foi dita poesia, desta vez da autoria dos Professores Jorge Salgueiro (Escola Sec/3 de Barcelinhos) e Francisco Limpo Queiroz (Escola Sec. Diogo de Gouveia de Beja).
Ao longo de dois anos, às quartas-feiras, a biblioteca foi um lugar onde a poesia foi a anfitriã. Este desafio foi lançado, pela equipa da BE, a toda a comunidade educativa, apelando à criação de poemas originais sobre as temáticas "chá, livros, leitura, aromas, poesia". Foram muitos os que aceitaram este repto. Professores, Alunos, Encarregados de Educação e Funcionários contribuíram com os seus textos.
A qualidade dos trabalhos justificava a sua divulgação. Surgiu, então, a ideia de ilustrar os poemas. Foi proposto à Escola Secundária Alcaides de Faria a colaboração da turma de Artes da ESAF que, sob a orientação do Prof. Durão, concretizou o projecto de ilustração. Brevemente, na Feira do Livro de Barcelos, a biblioteca irá lançar a compilação de todos os trabalhos numa publicação intitulada Antologia Poética do Chá.

CHÁ DE LIVROS

Chá de livros, numa escola de Barcelos.

Cidreira de Lídia Jorge, hipericão

de Lobo Antunes. Ler pelos cotovelos,

o chá de letras que os livros são.

Herberto Hélder, «Os Passos em Volta»

Saramago, «Memorial do Convento»,

«Guerra e Paz» de Tolstói e a revolta

da escrita contra a voz no vento.

Chá de livros não é o audiovisual,

é a retenção fundamental

da essência da palavra: o pensamento.

Bebe-se devagar, frase por frase,

e com o olhar, até chegar à fase

da plena captação do argumento.

Francisco Limpo Queiroz (Professor de Filosofia da Escola Secundária Diogo de Gouveia – Beja)


China

Cinco mil anos

Imperador Sheng Nong

Lenda, mito, ficção

Monges budistas dos Himalaias

Educando a criança Camellia Sinensis

Lapidam os multi e cosmopolitas aromas

Como um diamante puro e bruto

As naus portuguesas do Século XV

Interpeladas pelo Adamastor

Logram a amálgama de sabores infinitos e indecifráveis

Ervinha, planta, arbusto, copa colossal

Infusão de mesclas de vontades legadas

Étimo redondo, roliço, esticado, aplanado…

Com chapéu de coco, hortelã e alecrim

Em terras asiáticas e índias

“Five o’clock”

Amadrinhado pela princesa lusa

Catarina de Bragança

Emoldurando-o com taças de jasmim

Em cortes reais britânicas de gestos seculares

Este elixir sinestésico de emoções e sensações

Trago doce, agreste, sublime a laranja e a tabaco

Chávena de palavras, rimas, odes, poesias

Chávena de páginas, ensaios, livros, viagens, fantasias

Sorvidas ao longo da garganta

Ao ritmo erótico do chá-chá-chá e do “ménage à trois

A olfactar a camomila romã

Da Roma dos Imperadores

De bacanais e festins de prazer…

Jorge Salgueiro (Prof. da Escola Sec/3 de Barcelinhos)

16.Mai.11

Oficina de Poesia com Armindo Cerqueira

Na passada Sexta-feira, dia 13 de Maio, esteve na nossa Biblioteca o actor barcelense Armindo Cerqueira que, mais uma vez, nos trouxe a arte da representação e da declamação. Num trabalho interactivo com a assistência, Armindo Cerqueira proporcionou momentos de poesia aos alunos das turmas C, F e G do 10º ano e respectivos professores.

15.Mai.11

Conto das Quintas

Foi num ambiente divertido que o Colégio Menino Deus participou, no passado dia 12 de Maio, no "Conto das Quintas".
Meninos e meninas do ensino pré-escolar puderam assistir ao conto "Os Três Porquinhos" narrado pela professora Susana Sá, Professora de Biologia da nossa escola que, com o seu talento de contadora de histórias até agora desconhecido, encantou toda a assistência. Seguiram-se as alunas do 11º H, do Curso de Animador Sócio-cultural, que, sob a coordenação das Professoras Francisca Carvalho e Paula Queiroga, apresentaram mais um conto. Após este momento e durante mais de meia hora, todos os meninos se tornaram "Cientistas", fazendo experiências de Física e Química. Houve ainda lugar para pinturas, balões e muita diversão. Foi, certamente, um dia diferente para estes meninos que, embora sendo pequeninos, puderam conhecer a escola dos "grandes" e recordarão durante muito tempo as experiências/actividade realizadas.


10.Mai.11

Sarau cultural

A Biblioteca Escolar e o Clube de Língua Portuguesa convidam toda a comunidade educativa a participar no Sarau Cultural, que se realizará no dia 9 de Junho, pelas 21.00h, na Escola Sec/3 de Barcelinhos.
Arte, dança, música , poesia e muito mais serão os pontos fortes deste Sarau. Em breve será divulgado o programa. Participa!
09.Mai.11

A Biodiversidade e a História da floresta Portuguesa

No dia 5 de Maio, tivemos a honra de receber o Prof. Dr. Jorge Paiva, eminente biólogo e fitotaxonomista. Numa palestra subordinada ao tema “A Biodiversidade e a História da Floresta Portuguesa”, organizada pelos alunos do Curso Profissional de Técnico de Turismo Ambiental e Rural, o Professor alertou os alunos e professores para os perigos e consequências da perda de biodiversidade que, infelizmente, se vem acentuando no nosso país. Depois de ter feito uma clara resenha histórica da evolução da floresta portuguesa, apresentou imagens preocupantes da delapidação de espécies endémicas importantes ao equilíbrio ecológico e explicou que o seu desaparecimento vai trazer graves prejuízos para as gerações futuras. Afirmou que em meados do Século, a vida das próximas gerações poderá estar seriamente ameaçada se não se inverter o rumo que os nossos políticos têm dado à sua preservação.

Esta preocupação prende-se com a nefasta substituição da enorme faixa de pinheirais por eucaliptais (ecossistemas antrópicos de muito menor biodiversidade do que os pinhais). Afirmou também que :”Com os incêndios e pela acção do homem, parte das nossas montanhas e algumas zonas ribatejanas e alentejanas estão já transformadas em imensos eucaliptais (Portugal tem, actualmente, a maior área de eucaliptal da Europa) e acaciais, estando já algumas montanhas transformadas em zonas desérticas, plenas de pedregulhos.”Acrescentou que: “Se os nossos governantes continuarem, teimosamente, a não querer ver o que está a acontecer, caminharemos para uma diminuição drástica de Biodiversidade florestal e rapidamente para um amplo deserto de pedras montanhoso, com a planície e o litoral transformado num imenso acacial, como, aliás já acontece em muitas regiões de Portugal”.

Foi uma sábia, viva, pertinente e pedagógica lição numa altura em que se assinala o Ano Internacional da Floresta . Obrigada Professor!


Pág. 1/2