Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

Beaf - Biblioteca Escolar António Ferraz

"Ler engrandece a alma!" [Voltaire]

O Sarau Cultural aproxima-se...

No dia 27 de Fevereiro, a nossa comunidade educativa terá oportunidade de viver momentos de encontro com a a música, a dança, a Poesia, com a participação de alunos, professores, funcionários, pais e convidados.
Esperamos que sejam momentos de partilha e de convívio entre todos.
Brevemente daremos a conhecer o Programa e contamos com a presença de todos!

Ana Salomé esteve na nossa Biblioteca

A Poesia esteve na nossa escola: Ana Salomé visitou-nos.
E, não bastasse o que nos ofereceu, ainda escreveu isto no seu blogue http://www.cicio.blogspot.com/
«Quarta-feira, 17 de Dezembro de 2008 Poesia & Paris Hoje tive um dia muito bonito, mas muito intenso, na Escola de Barcelinhos, a convite de Aida Lemos, que foi também minha professora na Universidade, e que me fez sentir, como sempre, em casa, para falar de poesia com os alunos, apresentar-lhes as Odes, e moderar um pequeno concurso de versos em linha (ideia que retirei da iniciativa que decorre na Centésima Página). Ganhou a Cláudia que tinha uma irmã gémea. Receberam-me, mais uma vez, com o coração aberto. É a segunda vez que vou à escola. Fiquei muito comovida com os olhares atentos e doces, com o espanto, com a cara de alegria dos miúdos todos cheio de estilo por descobrirem que conseguiam escrever um verso sobre a palavra favorita deles, com a predisposição para conversarem sobre poesia (citei Pavese, Mário Dionísio, Eduardo Lourenço, Al Berto, Hugo von Hofmannsthal, Henrique Fialho, etc.) e ouvirem-na, com as leituras que prepararam dando-lhes uma respiração nova para mim, com os comentários que teceram, com a generosidade dos sorrisos e da flor artesanal que me ofereceram com as minhas iniciais bordadas, com a presença repetida das meninas lindas do 12ºF na parte da tarde, com a ajuda do Bruno, a simpatia da bibliotecária, a amabilidade dos professores e dos estagiários, com o ramo radioso de girassóis, com o coração parado a ouvirem o Mário Viegas a encantar um poema, com os olhe aqui um poema que fiz sobre si agora mesmo, com os livros apertados nas mãos, com os cadernos à espera do nome e do xi-coração, com a vontade de chegarem a casa e terem sentido que hoje valeu a pena para um amanhã. Fico com uma enorme esperança no mundo ao ver como é possível fazer acontecer poesia nas escolas como se estivéssemos todos sentados numa praia a contemplar um mar de azeite ou uma laranja a levitar na mão de um homem com cabeça de vidro. Hoje à noite, depois do jantar, vou finalmente a Paris comer pipocas. Tenho de me despachar a comer a sopa.»
Retirado do blogue do CLP http://www.clp-esb.blogspot.com/

Encontro com... Ana Salomé

 
 
A Poesia esteve na nossa escola: Ana Salomé visitou-nos.
E, não bastasse o que nos ofereceu, ainda escreveu isto no seu blogue http://www.cicio.blogspot.com/
«Quarta-feira, 17 de Dezembro de 2008 Poesia & Paris Hoje tive um dia muito bonito, mas muito intenso, na Escola de Barcelinhos, a convite de Aida Lemos, que foi também minha professora na Universidade, e que me fez sentir, como sempre, em casa, para falar de poesia com os alunos, apresentar-lhes as Odes, e moderar um pequeno concurso de versos em linha (ideia que retirei da iniciativa que decorre na Centésima Página). Ganhou a Cláudia que tinha uma irmã gémea. Receberam-me, mais uma vez, com o coração aberto. É a segunda vez que vou à escola. Fiquei muito comovida com os olhares atentos e doces, com o espanto, com a cara de alegria dos miúdos todos cheio de estilo por descobrirem que conseguiam escrever um verso sobre a palavra favorita deles, com a predisposição para conversarem sobre poesia (citei Pavese, Mário Dionísio, Eduardo Lourenço, Al Berto, Hugo von Hofmannsthal, Henrique Fialho, etc.) e ouvirem-na, com as leituras que prepararam dando-lhes uma respiração nova para mim, com os comentários que teceram, com a generosidade dos sorrisos e da flor artesanal que me ofereceram com as minhas iniciais bordadas, com a presença repetida das meninas lindas do 12ºF na parte da tarde, com a ajuda do Bruno, a simpatia da bibliotecária, a amabilidade dos professores e dos estagiários, com o ramo radioso de girassóis, com o coração parado a ouvirem o Mário Viegas a encantar um poema, com os olhe aqui um poema que fiz sobre si agora mesmo, com os livros apertados nas mãos, com os cadernos à espera do nome e do xi-coração, com a vontade de chegarem a casa e terem sentido que hoje valeu a pena para um amanhã. Fico com uma enorme esperança no mundo ao ver como é possível fazer acontecer poesia nas escolas como se estivéssemos todos sentados numa praia a contemplar um mar de azeite ou uma laranja a levitar na mão de um homem com cabeça de vidro. Hoje à noite, depois do jantar, vou finalmente a Paris comer pipocas. Tenho de me despachar a comer a sopa.»
Retirado do blogue do CLP http://www.clp-esb.blogspot.com/

As nossas quartas-feiras continuam a ser de "Chá de livros"...


Chá de Livros
2008-12-17

O que mais gosto em estar sentada num café são os olhos claros de todos os objectos que me olham com compreensão – não aquela que é feita de palavras, mas de um outro entendimento que não sei dizer. Aqueles olhos claros, sem fumo, que todos os objectos queridos têm. As chávenas de café brancas, os cinzeiros, a colher cintilante, o pacote de açúcar, as crianças dos outros, o avental da menina que nos vem perguntar tão delicadamente “o que deseja?”. Oh, o que eu desejo…(Ana Salomé)

Chá de Livros
2009-01-14
VEM TOMAR CHÁ COMIGO
A noite é fria,
Vem tomar chá comigo!
Solidão é uma agonia,
Faço da saudade meu abrigo.
Vem! Preciso de alguém,
Estou só no meu abandono,
Eu grito, e ninguém responde; ninguém!
Fico na cama rolando sem sono.
Á como dói a solidão!
Que falta faz um peito para abrigo,
Anda segura minha mão,
Vem tomar chá comigo!
Tem mel, biscoitinhos amanteigados,
Torradinhas e chás dos mais variados,
Tem um corpo faminto de ser amado,
Vem tomar chá comigo, vem fica a meu lado!(Ubirajara)


Chá de Livros
2009-01-21

Amanhecer com chá

Ilusões de um sonho profundo,
Uma realidade adormecida
Lembranças figuradas no inconsciente,
Meu corpo estável dormente.
Doces memórias nebulosas
Contagem regressiva...
Tomo uma taça de chá
Sou um lírico realizado.
Um travo a ...
Segundos de restauração
Configuro a minha mente
Amanheceu, Bom dia!
(Autor desconhecido)


Chá de Livros


Chá de Livros
2008-12-17

O que mais gosto em estar sentada num café são os olhos claros de todos os objectos que me olham com compreensão – não aquela que é feita de palavras, mas de um outro entendimento que não sei dizer. Aqueles olhos claros, sem fumo, que todos os objectos queridos têm. As chávenas de café brancas, os cinzeiros, a colher cintilante, o pacote de açúcar, as crianças dos outros, o avental da menina que nos vem perguntar tão delicadamente “o que deseja?”. Oh, o que eu desejo…(Ana Salomé)
 

Chá de Livros
2009-01-14
VEM TOMAR CHÁ COMIGO
A noite é fria,
Vem tomar chá comigo!
Solidão é uma agonia,
Faço da saudade meu abrigo.
Vem! Preciso de alguém,
Estou só no meu abandono,
Eu grito, e ninguém responde; ninguém!
Fico na cama rolando sem sono.
Á como dói a solidão!
Que falta faz um peito para abrigo,
Anda segura minha mão,
Vem tomar chá comigo!
Tem mel, biscoitinhos amanteigados,
Torradinhas e chás dos mais variados,
Tem um corpo faminto de ser amado,
Vem tomar chá comigo, vem fica a meu lado!(Ubirajara)
 


Chá de Livros
2009-01-21

Amanhecer com chá

Ilusões de um sonho profundo,
Uma realidade adormecida
Lembranças figuradas no inconsciente,
Meu corpo estável dormente.
Doces memórias nebulosas
Contagem regressiva...
Tomo uma taça de chá
Sou um lírico realizado.
Um travo a ...
Segundos de restauração
Configuro a minha mente
Amanheceu, Bom dia!
(Autor desconhecido)